[EXPOSIÇÃO VIRTUAL] LA INSPIRAZIONE

Em uma tarde de estudos, meus ouvidos se atentaram em uma música baixa que estava tocando. Curiosa, procurei saber quem era o compositor, quando encontrei o título: “La Serenissima — Antonio Vivaldi”. Gostando dessa melodia, passei a procurar por mais de suas composições e essas me instigavam a criar pinturas, incluindo uma obra em sua homenagem.

E foi assim que, em 2017, assinei meu primeiro quadro contemporâneo: “Allegro Vivaldiano” (Figura 1). A obra de cores vibrantes foi inspirada no movimento cubista, apresenta um violino e várias partituras em cima de uma mesa de madeira rústica desfragmentada. As partituras coladas são do concerto “La Stravaganza — Antonio Vivaldi”, nas pinturas dos arcos há pedaços de crina e nos violinos, cordas verdadeiras.

Dado o primeiro passo contemporâneo, outras obras com temas musicais foram criadas: “Pizzicato”, “Vibrações” (Figura 2), “Tre Stradivari”, “Sob Nova Perspectiva”, “Ponto de Encontro”, “Scherzo” (Figura 3). As pinturas intituladas “Ponto de Fuga” e “Beethoven, Amado Imortal” merecem uma atenção especial. A cena de época com cores intensas em “Ponto de Fuga” (Figura 4) é inspirada em vários movimentos artísticos. A paisagem ao fundo traz um pouco do surrealismo, onde o céu e mar se misturam e terminam em uma praia ao longe e essa se mescla a um gramado. As janelas inspiradas no período barroco e rococó não possui vidros e toda estrutura do cenário foi inspirado no cubismo. A ação das personagens é resumida em uma aula de violino.

Já “Beethoven, Amado Imortal” (Figura 5) foi inspirada em um período bastante crítico da vida de Ludwig van Beethoven, a surdez. Nessa obra é observado o compositor sentado de olhos fechados com o rosto encostado no piano para sentir as vibrações das notas através da madeira. Apesar de ser uma cena de grande lamento a pintura tem bastante cor. O piano com tons de laranja intenso se contrasta com um fundo com predominância azul e verde, já a personagem de cores sóbrias e cabelo grisalho.

Depois de alguns anos, analisei esses resultados artísticos e refleti sobre os acontecimentos daquela tarde de estudos e da singela atenção à música de Antonio Vivaldi. Não só houve um meio de criações artísticas, mas, a possibilidade do encontro com novas formas de expressão, reflexão, além do desenvolvimento do meu próprio estilo de pintura. Por vezes pequenos momentos trazem grandes inspirações e resultam em grandes mudanças na vida e da forma como olhamos o mundo.

Figura 1: Obra “Allegro Vivaldiano”; técnica: acrílica sobre painel; dimensão: 100 × 70 cm; data: 13/12/2017. Uma homenagem a Antonio Vivaldi.
Figura 2: Obra: “Vibrações”; técnica: acrílica sobre tela; dimensão: 40 × 30 cm; data: 23/06/2021. A cena mostra um violão com suas cordas vibrando e elementos de uma bateria.
igura 3: Obra: “Scherzo”; técnica: mista sobre papel; dimensão: 21 × 27 cm; data: 11/07/2018. A obra mostra um piano com partituras.
Figura 4: Obra: “Ponto de Fuga”; técnica: acrílica sobre papel; dimensão: 42 × 59 cm; data: 04/03/2020. A cena mostra uma aula de violino.
Figura 5: Obra: “Beethoven, Amado Imortal”; técnica: acrílica sobre painel; dimensão: 70 × 100 cm; data: 24/12/2017. Uma homenagem a Ludwig van Beethoven.

Laís Lovison Sturaro é natural de Araras (SP). Mestra em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua nas artes plásticas utilizando diferentes técnicas de pintura, como aquarela, acrílicas e óleos. Iniciou seus estudos de desenho artístico em 2003 na Oficina de Desenho Artístico, Anime e Mangá em Araras (SP). Assinou sua primeira obra acadêmica em 2006, e sua primeira obra contemporânea em 2017. Em 2021, foi selecionada entre as 24 melhores obras contemporâneas brasileiras para exposição virtual da Galeria EUEARTE.


Deixe uma resposta