[EXPOSIÇÃO VIRTUAL] Jardim do preceito é a cabeça dentro d’água

A natureza existe, não há fato que desaprove, como arte Nunca foi apenas contemplativa embora alguns achem que existe para o próprio deleite. Quando olho para a natureza cada vez mais me reconhecendo como parte dela, me aproximo cada vez mais da ideia de que estamos em plena conexão. 

Não existe ela, a arvore, a água e eu… Existe nós. A água dentro e fora de mim, meu corpo que é também matéria viva de carbono como as árvores e peixes; em cada pedaço do meu olhar existe um guardião, existe uma parte humana. Não à toa que todas as imagens dessa coleção tem nomenclatura que permeia o sagrado e a busca neoplatônica de amor e reconhecimento. É enxergar a si no primário, no clean no puro, no ar no todo. 

Encantado
O Guardião
Placenta do Luar
Rei
Solitude

Inã Omokun, natural de Salvador-BA, cresceu cercada de obras literárias e vinis; nasce daí sua paixão pela música e artes. Na faculdade, ao ingressar no curso de Licenciatura em Artes Visuais, se apaixonou pela fotografia e filmagem. Desde então, Inã Omokun vem trilhando seu caminho nas artes captando através do olhar sensível de suas imagens estáticas ou não, narrativas sobre ancestralidade, espiritualidade e natureza. Ultimamente, tem investido seu tempo de pesquisa sobre corporeidade LGBTQ em cena sob o recorte racial.


Deixe uma resposta