ANIMAÇÃO AUXILIA CRIANÇAS INDÍGENAS NO COMBATE À COVID 19

Na semana dos Dias Internacionais dos Povos Indígenas (9) e da Juventude (12), conheça projeto de jovens indígenas para instruir público infantil na pandemia

No interior do Amazonas, jovens comunicadores estão levando informação sobre os cuidados para evitar a COVID-19 de forma leve e lúdica para as crianças indígenas. “Me sinto privilegiado por fazer parte de algo que pode impactar na vida de muita gente”, conta Anderson Teles Marques, editor de vídeo e fotógrafo de 28 anos e membro da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab).

A produção audiovisual “Grandes Guerreiros e Guerreiras” foi realizada por jovens de diferentes regiões do Amazonas (AM). Vera Tukano, de 23 anos, produtora de rádio e colaboradora da Coiab, explica que a ideia é transmitir a mensagem de que a união continua sendo o melhor antídoto contra o coronavírus. “Decidimos criar essa visão: a de que somos parentes, somos um grupo que enfrenta a mesma doença.”

Vera Tukano usou mensagem de união para vencer COVID-19
Legenda: Vera Tukano usou mensagem de união para vencer COVID-19Foto: © Anair Sampaio Tukano

Os componentes culturais indígenas utilizados na narrativa, como a língua dos seres da floresta e os elementos ancestrais, foram peças-chave para que as crianças compreendam os métodos de prevenção da doença. “Optamos em fazer uma animação para crianças porque assim poderíamos usar uma linguagem mais simples, que todos pudessem entender”, explica Anderson.

O filme foi produzido pela Coiab em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o a Fundação Oswaldo Cruz e integra o projeto Povos Indígenas da Amazônia no Combate à COVID-19 (Piaac). Além de Anderson e Vera, participaram da atividade Patrícia Guajajara, Kauri Waiãpi, Esco Tikuna, Cledson Karitiana, Alana Manchineri, Mariana Aikanã, Victória Correa, Mateus Compart, Ian Wapichana, Jakeline Carvalho Xavier e Talita Oliveira.

Legenda: O vídeo já tem mais de 2 mil visualizações nas mídias sociais do UNICEFFoto: © UNICEF

Desafios e resultados – Os percalços pela falta de acesso de qualidade a recursos básicos, como internet, ainda afligem grande parte das comunidades indígenas amazonenses, o que dificultou o andamento do projeto. “Um desafio é a conectividade porque são jovens de diferentes regiões da Amazônia”, explica Anderson. Vera conta que muitas vezes os colegas não participavam das reuniões por conta do sinal da internet.  “Às vezes dava para acessar só de dia e à noite não, horário da reunião.”

A inclusão das medidas preventivas da COVID-19 no roteiro também foi um processo desafiador. “As dificuldades foram a de colocar elementos como máscara, álcool em gel 70% e a vacinação de uma forma que não quebrasse a imersão na história”, diz Anderson.

Legenda: Anderson Teles Marques narra a animação Grandes Guerreiros e GuerreirasFoto: © Rodrigo Piloto

A reação do público após a promoção de “Grandes Guerreiros e Guerreiras” foi recompensadora: mais de 2 mil visualizações nas mídias sociais do UNICEF e há expectativa de atingir populações indígenas de vários países através das mídias da ONU no mundo.

Nas comunidades, os resultados também foram excelentes. “Alguns jovens relataram que em suas aldeias, algumas pessoas choraram porque a história as fez sentir muitas emoções”, conta Anderson. 

Assista ao vídeo

Grandes Guerreiros e Guerreiras (Brasil | 2021 | 06min45s)

Sinopse: Em certa ocasião, Kito, Irisa, Wáwéru, Buhtûû e A’iru’acu decidem passar a noite na floresta e têm sonhos misteriosos. Assustados, voltam para a aldeia e encontram a comunidade em desespero com a chegada de um ser desconhecido, que já havia levado muitos parentes. Decididos a ajudar seu povo, vão em busca de orientação com o ancião da aldeia, que estava recolhido em uma montanha distante.

Matéria originalmente publicada em Nações Unidas Brasil em 06/08/2021 – Atualizado em 06/08/2021.


A ONU (Organização das Nações Unidas) é uma organização internacional formada por países que se reuniram voluntariamente para trabalhar pela paz e o desenvolvimento mundiais.


Deixe uma resposta