[CAÇADORA DE HISTÓRIAS] SHANA MÜLLER: A VOZ DAS ESTRELAS DO SUL

Alguns poetas escrevem que tal beleza, olhos ou sonhos nascem das estrelas. Nesse caso, vou pegar uma carona nessa linda metáfora e afirmar que há uma voz que nasceu das estrelas. A voz dela: Shana Müller.

Foto: Stefanie Telles

Nascida no Rio Grande do Sul, na cidade de Montenegro, e criada no pampa verdejante de Alegrete com uma família repleta de amor, cuidado e muita música, Shana nos encanta com sua voz desde muito pequena. Iniciou sua carreira musical no tradicionalismo gaúcho aos 8 anos de idade, participando de várias edições do Fegart/Enart (festivais locais de canto e dança) como solista vocal e fazendo parte dos conjuntos vocais de grupos de dança. Porém, seus primeiros passos na música profissional se deram a partir da gravação de “Vitória-régia”, com o cantor Wilson Paim, canção de grande repercussão e sucesso que fez com que Shana se destacasse no meio artístico e cultural do Rio Grande do Sul. Depois disso gravou mais duas composições com Paim: “O Beija-Flor e a Rosa” e “Recanto da Esperança”.

Essa carismática e talentosa cantora atuou por muitos anos no chamado “tradicionalismo gaúcho”, tendo sido Primeira Prenda Juvenil do RS, concurso promovido pelo MTG ( Movimento Tradicionalista Gaúcho) no ano de 1993.

Em 2001, junto com o CTG Aldeia dos Anjos, participou do Festival Mundial de Folclore de Drumondville, no Canadá, e gravou o disco “The Sound of the South Brazil” (O Som do Sul do Brasil), onde interpretou diversas músicas do repertório nativista e do folclore gaúcho. No mesmo ano, integrou o espetáculo “Palco do Rio Grande”, que foi criado e dirigido por Luiz Carlos Borges e cantou ao lado de nomes conhecidos da música regional sulista, como Loma, Vinicius Brum, Victor Hugo, entre outros.

Fonte: Site Shana Müller

Nesse meio tempo, de forma paralela à carreira musical, Shana também trabalhou como apresentadora de eventos, graduou-se em Jornalismo pela PUCRS e fez o curso de radialista pela Feplam. Além disso, atuou, de 2000 à 2006, na Rádio Rural, veículo do setor rural do grupo RBS e algum tempo mais tarde passou a apresentar o programa Galpão Crioulo ao lado de Neto Fagundes, da mesma emissora.

Em 2004, Shana Müller faz a retomada de sua carreira musical com músicas do universo campeiro gaúcho e do folclore latino-americano. Lançou seu primeiro trabalho destacando a presença feminina na interpretação das temáticas regionais cantando milongas, chamamés, chacareras e zambas argentinas. Assoprando a cortina de preconceitos que divide mulheres e homens – principalmente na cena do campeirismo e costumes gaúchos -, Shana traz a presença do feminino, e na sua voz, nascida das estrelas, carrega os anos de ancestralidade e tradições com graça, leveza e tato.

Durante sua jornada, participou de diversos festivais de música do estado e realizou espetáculos também nos vizinhos Santa Catarina e Paraná. No ano de 2006, lançou “Firmando o Passo” (Usa Discos), confirmando e firmando seu espaço no cenário da música regional gaúcha. Em seguida, veio o disco “Brinco de Princesa”, que lhe rendeu o Prêmio Petrobras Cultural com a turnê homônima que ela levou para diversas capitais brasileiras, como Rio de Janeiro e São Paulo. Junto a isso, o disco venceu o Prêmio Açorianos de Música como Melhor Álbum Regional e levou, às mãos de Shana, o Prêmio de Intérprete do Ano em 2012.

Shana Müller faz parte da nova geração de músicos do Rio Grande do Sul, tendo se apresentado em países como Argentina e Uruguai, em festivais de folclore, partilhando o palco com nomes como Luiz Carlos Borges e Yamandú Costa por diversas vezes. Há dez anos, representa o Brasil na Fiesta Nacional del Chamamé, evento que reúne artistas da tríplice fronteira.

No gelado mês de junho, em 2008, compareceu como convidada no show da cantora que é fonte de inspiração para ela: Mercedes Sosa.

2016 chegou e com ele, o primeiro DVD de sua carreira: Canto de Interior. Gravado numa fazenda localizada na Quarta Colônia da Imigração Italiana do RS, dentro de um galpão de pedras que foi transformado em palco para as canções que retratam um Rio Grande do Sul que dialoga com o mundo.
Com direção musical de Duca Leindecker e direção geral de Rene Goya, o DVD foi produzido pela Estação Filmes e conta ainda com um documentário de 40 minutos, no qual se apresenta a trajetória da cantora no tradicionalismo gaúcho e o impacto dessas vivências na sua vida pessoal e profissional.

Ufa, são tantas informações que enriquecem nossos olhos enquanto lemos e imaginamos cada momento, não é?

Bem, que Shana abriu um caminho empoderado e o encheu de canções, flores e possibilidades, a gente já sabe. Ela ecoa em nossos rádios e é presença forte, como uma rosa vermelha, quando assistimos seus shows e vídeos. Mas há outra faceta que ela costura à mão, molha a terra e tempera com ervas frescas: sua vida pessoal.

Foto: Karla Spall
Fonte: Instagram

Shana Müller divide a vida com seu parceiro, o médico Juliano Chibiaque, e dessa árvore de raiz forte nasceram três frutos doces e encantadores: Gonçalo, Francisco e Mercedes. A cantora exerce a maternidade com presença, verdade e o máximo de bom humor. Através de suas redes sociais, compartilha fotos e vídeos com textos tão aconchegantes que fazem a gente se sentir parte de sua família.

Shana é uma mulher forte, sonhadora, nascida num meio muito patriarcal, como muitas de nós. Aproveitou todas as possibilidades que teve e as transformou em realidade, construindo uma linda história para sua vida e inspirando muitas meninas que vieram depois. Shana é gente como a gente: mulher, filha, irmã, amiga, esposa, mãe, cantora, apresentadora, radialista, colunista.

Para ouvir essa voz estelar e se encantar, não precisa ser do Rio Grande do Sul. Basta querer. Pega um fiapo de tempo do teu dia e vai conhecer o trabalho dela.


Queridas e queridos leitores!

Aqui, quem te escreve é Victória: Escritora, idealizadora do projeto Caçadora de Histórias e colunista da Revista TRAMA.

Começamos esse ano cheio de páginas em branco escrevendo a nossa e trazendo a coluna de maneira ainda especial, porém renovada. Aqui conecto minhas palavras com a arte que a revista respira e traremos, quinzenalmente, histórias de artistas de todos os vieses como literatura, música, cinema,
dança e muitos outros, ajudando a reforçar e relembrar o quanto somos bordados e perfumados por toda essa pluralidade.

Com carinho, esperança e muita fé,
Victória Vieira


Victória Vieira é escritora e idealizadora do projeto Caçadora de Histórias. Caçando e ouvindo histórias, vou escrevendo a tua com minhas palavras e te ajudando a ter um novo olhar sobre ela. Siga o projeto no Instagram.


Uma vez
Mensal
Anual

Apoie a Trama e nos ajude a continuar crescendo!

Fazer uma doação mensal

Fazer uma doação anual

Escolha um valor

R$5,00
R$15,00
R$100,00
R$5,00
R$15,00
R$100,00
R$5,00
R$15,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

DoarDoar mensalmenteDoar anualmente

Deixe uma resposta