Tesouro Nacional

Eu amo aquele agora sem medida!
Quando em tais corredores cobertos de história,
Os Guardiões da memória expedida,
Lançam a nós a colcha do passado!…

Costurado em linhas de heroísmo!
Retalhos, que unem o presente e o destino:
Estrada Real, que atravessa corações,
As linhas do tempo bordando emoções!…

Casarões que colecionam tesouros,
Habitados pelos felizes espectros,
Que narram suas vidas, que tingem o ouro
E o verde dos estandartes; nosso sangue!…

Quais segredos o guia esconde ?
Enredos ocultos nas barbas de Pedro;
Romances; anáforas nas ruas de Petrópolis, nos trilhos dos bondes;
Nos bustos de poder; nas molduras de cedro…

Victória da Costa Silva, vencedora na categoria aluna do primeiro concurso de poesia do Museu Mariano Procópio em parceria com a Bodoque.



Galeria: Artistas pra seguir na quarentena

Apoie os artistas nessa quarentena. Em tempos de cólera, amar é um ato revolucionário.

Deixe uma resposta