Plataforma oferece treinamento para fortalecer municípios e estados em políticas migratórias

Além do processo de certificação, a plataforma MigraCidades também oferece treinamentos e ferramentas para promover o diálogo migratório, com o objetivo de fortalecer as capacidades de municípios e estados para desenvolver e aprimorar políticas migratórias locais.

A plataforma MigraCidades é implementada em parceria entre a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com apoio da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e com financiamento do Fundo da OIM para o Desenvolvimento.

A plataforma MigraCidades é implementada em parceria entre a OIM e a UFRGS, com apoio da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e com financiamento do Fundo da OIM para o Desenvolvimento. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A plataforma MigraCidades reuniu esta semana, em oficina online, 25 representantes de governos participantes do processo de certificação das políticas migratórias locais para discutir a etapa de diagnóstico.

Esta é a segunda fase do processo e inclui o preenchimento de um formulário com informações sobre políticas implementadas nas 10 dimensões de governança migratória local propostas pela plataforma.

Além do processo de certificação, a plataforma MigraCidades também oferece treinamentos e ferramentas para promover o diálogo migratório, com o objetivo de fortalecer as capacidades de municípios e estados para desenvolver e aprimorar políticas migratórias locais.

Conheça o passo a passo da certificação

Com a participação dos coordenadores da plataforma MigraCidades — Marcelo Torelly, da Organização Internacional para as Migrações (OIM), e Roberta Baggio, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) —, além da equipe do projeto, os representantes dos governos puderam tirar dúvidas, fazer comentários e dar relatos sobre a implementação dessa etapa do processo.

Torelly destacou que a oficina avança em dos objetivos por trás da plataforma, que é a promoção de espaços de diálogo “tanto por um primeiro vetor de estimular o dialogo migratório no âmbito local, inclusive dentro do próprio governo, quanto por um segundo vetor, que é criar uma grande rede de atores locais que possa também trocar práticas entre si, pois nesses espaços percebemos a grande riqueza do que está sendo desenvolvido no âmbito local”.

“Essa oficina tem o papel de nos aproximar mais e ouvir os participantes do processo, pois quando construímos um projeto, só iremos entender de fato seus limites e potencialidades quando o colocamos em prática”, destacou Baggio, complementando que “essa é a importância dessa rodada piloto e da participação de todos os governos locais.”

A próxima etapa do processo será a Priorização, que ocorrerá ao longo de outubro. Em dezembro, os 29 governos participantes que cumprirem todas as etapas do processo receberão o selo MigraCidades.

A plataforma MigraCidades é implementada em parceria entre a OIM e a UFRGS, com apoio da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e com financiamento do Fundo da OIM para o Desenvolvimento.

Matéria originalmente publicada em Nações Unidas Brasil em 18/09/2020 – Atualizado em 18/09/2020.


A ONU (Organização das Nações Unidas) é uma organização internacional formada por países que se reuniram voluntariamente para trabalhar pela paz e o desenvolvimento mundiais.



Galeria: artistas para seguir nessa quarentena

Apoie artistas nessa quarentena. Em tempos de cólera, amar é um ato revolucionário.

Deixe uma resposta