Olhando da Janela

Sentado sozinho olhando da janela
senti que a vida já teve momentos melhores, mas ainda pode voltar a ser bela.

As listras da persiana se misturam com as do asfalto ao lado
Ora seco, sol a pino. Um cochilo e mudou tudo, abro os olhos, chão molhado.

Olhando da janela vejo um homem tão feliz passeando com seu cão, enquanto do outro lado uma velhinha passeando com sua bengala calculando os passos para não correr o risco de vir ao chão

Entediado pelo tic-tac do relógio a paciência já quase se esgotou
Às vezes TV, às vezes se lê, e um milhão de tempo depois, 15 minutos foi o tempo que passou.

De dia cansado, a noite sem sono, queria tanto dormir mas infelizmente não deu
mas quando o sono vem é tarde, o sol anuncia que um novo dia já nasceu.

Momentos assim são perfeitos para se exercitar a humildade, a compaixão
Coisas tolas como riqueza, cor da pele e beleza nessa hora não passam de pura ilusão

Olhando da janela às vezes se percebe um alerta sonoro, luminoso, uma espécie de sinal
Essa janela solitária e vazia que me encontro neste momento é a janela de um hospital.

João Batista é Vigilante e entusiasta das artes. Apaixonado por música e cinema. Prefere os clássicos às tendências da modernidade.


Clique na imagem acima e acesse a loja virtual da Bodoque!


Galeria

Apoie causas humanitárias. Em tempos de cólera, amar é um ato revolucionário.

Deixe uma resposta