Terra (não mais) Dourada

 A injustiça inflama o corpo
Borbulhando em dor e desespero
Implodindo em chamas e fumaça
Que sobem e ultrapassam a nitidez
Clamando aos céus por misericórdia
Mas até quando o terá?


Finito e sagrado o abrigam 
Criando o ponto de ligação celular 
Mutável, adaptável
Todos pedem água para si 
Mas poucos por justiça para todos 


O abrigo materno padece
A mãe que sofre pela negligência de seus filhos
Filhos! Filhos? Não
Devastada ternura
Carbonizada ligação


Já não são mais filhos da Terra
Provocaram seu próprio aborto
Sujaram os seios da inocência
Romperam com a integridade
E ainda cobram que seja 
Mãe gentil dos filhos deste solo 

Larissa Valladares é filha, admiradora dos “pormenores” da vida e aspirante ao serviço social.

Fotografia por: Paulo Ferreira da Silva


Gostou desta edição da Trama? Cadastre-se e receba as próximas edições da revista por e-mail gratuitamente!


Você pode ajudar a manter o projeto adquirindo produtos da Bodoque Artes e ofícios.! Clique na imagem para acessar a loja virtual!

Deixe uma resposta